Retinopatia Hipertensiva

A hipertensão Arterial Sistêmica é caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial. A prevalência na população brasileira é de 30% da população.

O olho é um órgão alvo e tem a característica de permitir a observação direta das alterações microvasculares no exame oftalmológico.

A Retinopatia Hipertensiva ocorre quando a hipertensão arterial começa a provocar alterações nos vasos sanguíneos da retina. Em vários casos, o diagnóstico inicial de hipertensão arterial sistêmica pode ser feito pelo oftalmologista após exame de mapeamento de retina. Essas alterações nos vasos sanguíneos dos olhos podem começar muito antes do paciente apresentar qualquer sintoma da hipertensão arterial sistêmica.

Na Retinopatia Hipertensiva ocorre o estreitamento arteriolar difuso, hemorragia retiniana, lipídios intrarretinianos; pode ocorrer isquemia da camada de fibras nervosas da retina, alteração nos cruzamentos das arterias com veias, ingurgitamento venoso, macro aneurismas, oclusões venosas e arteriais.

Fatores de risco
Os principais fatores de risco para a retinopatia hipertensiva são idade acima de 60 anos com hipertensão arterial sistêmica descontrolada e raça negra.

Sintomas
Pode ocorrer piora da acuidade visual, dores de cabeça e maior sensibilidade à luz. Se não tratada em casos graves podem levar à cegueira.

Diagnóstico
O exame de mapeamento de retina e fundoscopia feito no exame oftalmológico de rotina são os principais meios diagnòsticos. Exames complementares podem ser indicados se houver o diagnóstico como retinografia colorida, angiofluoresceinografia, tomografia de coerência optica.

Prevenção
O controle da obesidade, dos níveis de colesterol, triglicerides, controle da diabetes, incentivo à atividade física são necessários para controle da pressão arterial e prevenção da retinopatia hipertensiva.

Tratamento
As consequências da retinopatia hipertensiva como o edema macular, oclusão venosa da retina, pode ser necessário injeção intra vítrea de antiangiogênico.

Cada caso deverá ser analisado particularmente pelo oftalmologista.

Recomendo exame oftalmológico anual para prevenção da retinopatia hipertensiva.

 

Dra Jenniffer Laura Daltro Monteiro da Silva Loures
CRM/MG 41729 – RQE/MG 32982
Oftalmologista

 
Residência Médica em Oftalmologia pela Santa Casa de Belo Horizonte de Minas Gerais
Fellow em Retina e Vítreo Clínica e Cirúrgica pela Santa Casa de Belo Horizonte de Minas Gerais
Título de Especialista e Oftalmologia pela Associação Médica Brasileira e pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Membro da Sociedade Brasileira de Retina E Vítreo
Preceptora da Residencia Médica de Oftalmologia Santa Casa de Belo Horizonte 2014-2015
www.drajennifferoftalmo.com.br
Facebook.com/drajenniffer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *